Paz em Israel!

Paz em Israel!
Orai pela paz de Jerusalém; prosprerarão aqueles que te amam. Salmos 122: 6

Pesquisar este blog

quarta-feira, 25 de maio de 2011

"Kit Gay" dinheiro público mal empregado! Parabéns Presidente! Que Deus te dê sabedoria!

Religiosos pressionam e Dilma suspende "kit anti-homofobia" para escolas


Brasília, 25 mai (EFE).- A presidente Dilma Rousseff determinou nesta quarta-feira a suspensão da elaboração do "kit anti-homofobia", um material sobre a homossexualidade e o combate à homofobia que seria distribuído em escolas públicas e havia gerado protestos de grupos religiosos.

A polêmica sobre esse material cresceu nos últimos dias, sobretudo depois que o Supremo Tribunal Federal decidiu que a união civil entre duas pessoas do mesmo sexo é equivalente à união heterossexual perante a lei. Grupos católicos e evangélicos criticaram a decisão judicial e alertaram sobre projetos que, segundo afirmaram, pretendiam "induzir" os adolescentes que estudam em escolas públicas à homossexualidade.

Na quinta-feira passada o ministro da Educação, Fernando Haddad teve reunião com parlamentares da bancada evangélica e disse que a pasta não fará mudanças no material que compõe os kits de combate a homofobia.

Porém, nessa quarta-feira o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse que o governo entendeu que "seria prudente não editar esse material". Carvalho explicou que Dilma tomou sua decisão após conversar sobre o assunto com parlamentares de diversas religiões que criticaram o projeto.
O material estava sendo elaborado por empresas contratadas pelo Ministério da Educação (MEC) e seria distribuído ao final de cursos sobre direitos humanos e minorias que devem ser ministrados para alunos do Ensino Médio de escolas públicas.
Segundo o MEC havia antecipado, o material que estava em preparação incluía vídeos que mostravam como o amor surgia entre dois meninos ou entre duas meninas, além de depoimentos de travestis e transexuais sobre suas vidas e relações amorosas.
Carvalho disse que, após conversar nesta quarta-feira com os parlamentares que se opõem ao projeto, Dilma decidiu ainda que "daqui para frente todo material que versar sobre costumes será feito a partir de consultas mais amplas à sociedade".

segunda-feira, 23 de maio de 2011

O IRÃ pensa que engana quem?

União Europeia intensifica sanções ao Irã contra programa nuclear
Agência Brasil
Publicação: 23/05/2011 13:39 Atualização:

O Conselho da União Europeia (UE) intensificou hoje (23/5) sanções ao Irã devido ao desenvolvimento do programa nuclear. O país é suspeito de fabricação de armas, embora as autoridades iranianas neguem a acusação. Pela decisão definida nesta manhã, mais empresas e pessoas, ligadas ao governo do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, terão os bens congelados.

As informações são da União Europeia. De acordo com a decisão dos europeus, a lista atinge mais de cem empresas, entre elas o Banco de Comércio Euro-Iraniano (EIHB), com sede na Alemanha, e mais cinco autoridades ligadas a Ahmadinejad. A decisão foi aprovada pelos ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27 países que integram o bloco da União Europeia.

A chefe da Diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, disse que foi “decepcionante” a última resposta enviada pelo governo Ahmadinejad sobre um eventual acordo para a troca de combustível.

Em 17 maio de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi um dos mediadores de um acordo para a troca de urânio do Irã com a Turquia. O objetivo era usar o acordo para minimizar as suspeitas contra o programa nuclear desenvolvido pelos iranianos. Mas a proposta foi rejeitada pela maior parte da comunidade internacional.

O Conselho de Segurança das Nações Unidas, a União Europeia e vários países unilateralmente aprovaram restrições econômicas, financeiras e comerciais ao Irã, no ano passado. O governo Ahmadinejad nega todas as acusações de irregularidades envolvendo o programa nuclear iraniano.

domingo, 22 de maio de 2011

Vejam como agem os muçulmanos! Será que realmente esse povo deseja paz? Será que esse povo é temente a Deus?

Atentados no Iraque deixam 18 mortos e 80 feridos
France Presse
Publicação: 22/05/2011 13:34 Atualização:
 
Bagdá - Ao menos 18 pessoas morreram e 80 ficaram feridas neste domingo (22/5) em uma série de ataques perpetrados em Bagdá e nos arredores da capital iraquiana, incluindo um atentado suicida que deixou 12 mortos, segundo os serviços de segurança iraquianos.

Esta nova onda de violência põe em xeque a capacidade das forças iraquianas para assumir a segurança do país, três dias após os atentados contra a polícia que deixaram 29 mortos em Kirkuk e a sete meses da data prevista de retirada das tropas americanas.

Mais de oito anos após a invasão do país por uma coalizão internacional liderada por Estados Unidos e Grã-Bretanha, o exército americano segue com 45 mil homens no Iraque, dedicados à formação das forças iraquianas. Por sua vez, os últimos militares britânicos abandonaram o país neste domingo. A Grã-Bretanha havia anunciado nesta semana o fim da missão de formação realizada pela Royal Navy para treinar os iraquianos, pondo fim às operações militares britânicas neste país.

A maioria dos soldados britânicos mobilizados no Iraque já havia abandonado o país em julho de 2009.

Neste domingo em poucas horas 12 bombas caseiras e três carros-bomba explodiram, e um atentado suicida foi realizado.

O ataque mais violento foi um duplo atentado perpetrado por volta das 09H00 local (03H00 de Brasília) em Taji, 25 km ao norte de Bagdá, que deixou 12 mortos e 23 feridos, informou um responsável do ministério do Interior que pediu o anonimato.

Um funcionário do ministério da Defesa iraquiano falou, por sua vez, de 14 mortos e 28 feridos neste ataque.

O atentado começou com a explosão de um carro-bomba, após o qual um terrorista suicida se matou no momento em que a polícia, os socorristas e diversas pessoas chegavam ao local. Oito policiais figuram entre os mortos.

No sul da capital, quatro bombas de fabricação caseira explodiram em uma rua próxima a uma delegacia, e foram seguidas pela explosão de um carro-bomba, matando no total duas pessoas e ferindo 15, segundo o funcionário do ministério do Interior.

Em um bairro do noroeste da cidade, uma bomba explodiu em um hospital deixando dois mortos e sete feridos, enquanto outro atentado perpetrado em um mercado feriu sete pessoas.
No setor de Al Talbiya (norte) um carro bomba explodiu durante a passagem de um comboio do ministério do Interior, matando uma pessoa e ferindo outras cinco. Outro atentado perto da praça Wasiq (centro) deixou um morto e um ferido.

No leste da capital, seis pessoas ficaram feridas por uma bomba durante a passagem de uma patrulha da polícia e outras duas por dois artefatos explosivos contra o veículo de um funcionário do comando de operações em Bagdá.

Estes atentados ocorrem um dia após a morte de sete pessoas em vários ataques na província de Kirkuk, onde a luta contra os grupos armados é dificultada pela disputa entre o governo central e a região autônoma do Curdistão, que disputam este território.

Um alto responsável do Curdistão se pronunciou neste domingo a favor da manutenção das forças americanas no Iraque após a data prevista para sua retirada, no fim do ano. "Se o governo de Bagdá e o parlamento iraquiano quiserem atrasar (esta retirada), nós estamos de acordo", afirmou o secretário-geral do ministério dos Peshmergas (combatentes curdos) Jabbar Yawar, em uma coletiva de imprensa em Erbil, capital da região.

A violência no Iraque não é comparável ao nível que alcançou em 2006 e 2007, mas continua sendo diária. No total, 211 iraquianos perderam a vida em atentados no mês de abril.



;